quinta-feira, 21 de março de 2013

O avesso do contrário




Eu gosto do seu sorriso cáustico, das suas frases filosóficas, do seu olhar confuso. 
Das prosas codificadas, lembro-me apenas de palavras discordantes. 
Antíteses superficiais dentro de paradoxos densos. 
Eu adoro essa competição muda. Um mostra-esconde insaciável.
Alimenta o fogo. Constrói sentimentos. Acumula sinapses.
O mistério me é sempre muito envolvente.
Porque eu sou suspense. Exponho-me escondido. 
De maneira sonsa, quase discreta, até descobrir o que posso exibir - pouco do muito. 
E é melhor que não descubra, afinal. 
Ah! Deixe que o luar diga, que o sonho desenhe, que o encontro aconteça.
O não às vezes é sim. 
Assim, de frente, assim, entregue. Ao léu. 
Numa esquina qualquer. 
Ao som de sambas antigos, vozes sem sentido e olhares que gritam.
Enfim, a delicadeza das pequenas coisas que só a gente sabe. Em gestos e toques.
Para transportar e guardar: o perfume das flores, os pequenos murmúrios, folhas tristes do outono e o jeito do amor.
Sobre devaneios de quartas inteiras. 
Metade é pouco pra mim. Eu gosto do estrago. 
Do seu estrago.
Share This
© Califasia - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Beatriz Miranda.
imagem-logo